“A ciência não é difícil, com paixão tudo é mais fácil”

A Escola Secundária da Lagoa recebeu, recentemente, mais uma edição da “Feira da Ciência”, um projeto desenvolvido pelos alunos do 12º ano desta escola.

Nesta, os alunos dinamizaram um conjunto de atividades de ciência e tecnologia (laboratórios, oficinas, demonstrações de robótica), numa tarde de diversão e partilha de conhecimento, onde os mais novos foram os protagonistas.

Cerca de 300 alunos, observaram as diversas experiências, partilhadas de forma lúdica e original, que demonstram alguns princípios científicos, por forma a despertar a curiosidade, cativar o pensamento científico e interesse pelas experiências laboratoriais, nas diversas áreas.

O Presidente do Conselho Diretivo da Escola Secundária de Lagoa considera que a Feira da Ciência é um orgulho para a escola.

Alexandre Oliveira, em declarações ao Jornal Diário da Lagoa, recorda que, desde há algum tempo, que a escola tem apostado na promoção do conhecimento científico, não sendo área exclusiva, mas pelo que abre de possibilidades aos alunos. “A escola tem um conjunto de docentes que tem dado esse incremento de atividades curriculares e extracurriculares, e desde longa data que tem tido participações a nível de concursos nacionais e internacionais, de trabalho científico”.

A Feira da Ciência, que teve o seu início em 2017, é dirigido ao público do 1º ciclo, possibilitando assim que estes tenham conhecimento e comecem a entrar no mundo da ciência. Segundo recorda o docente, “há também os alunos mais velhos que, pela dinâmica do trabalho desenvolvido, eles próprios a desenvolverem-se, porque eles prepararam todas as apresentações, as suas comunicações, ou seja, um conjunto de competências que estão a ser desenvolvidas para além de todas as disciplinas curriculares”.

Em final de ano letivo, o Presidente do Conselho Diretivo da ESL faz igualmente um balanço positivo de mais um ano, que considerou de muito trabalho.

“Apesar de não haver dados oficiais, tenho a noção que o trabalho desenvolvido por toda a comunidade educativa, proporcionou a cada aluno, todas as condições e possibilidades para atingir o melhor resultado possível. O ano passado, no 3º ciclo, os resultados atingidos ultrapassaram as metas estabelecidas”, recordou.

Para este ano, espera a melhoria alcançada nas provas de avaliação externa.

Apesar do resultado que possa surgir, Alexandre Oliveira diz ter orgulho por todo o trabalho que tem sido desenvolvido por toda a comunidade educativa na Secundária de Lagoa.

Já para Paula Silva, professora de Física e Química, diz ser a paixão a melhor maneira de incentivar o estudo desta disciplina. “Com paixão tudo se torna mais fácil para conseguir atingir os objetivos”.

Segundo referiu ao Jornal Diário da Lagoa, é preciso divulgar a ciência e tirar a ideia de que esta é difícil, sendo muito importante abrir portas e mostrar o que se faz.

Paula Silva realça o empenho dos alunos do 12º ano que, depois de receberem o feedback do seu trabalho, acabam por ficar com a sensação de que se consegue fazer melhor.

Acredita a docente que os alunos tem o perfil de quem “arregaça as mangas e nada os assusta”.

A docente de Física e Química espera que os alunos possam frequentar os cursos no âmbito da Ciência Viva, sendo uma experiência que os enriquece ainda mais. “Um aluno que arrisca ir para o Ciência Viva vai para o desconhecido e acaba por vir uma pessoa diferente, com outras características”, recorda.

Paula Silva diz que “é preciso acreditar nos alunos que eles depois acreditam em si”.

Por outro lado, a presidente da Câmara de Lagoa, relembra o apoio da autarquia na concretização de estágios realizados em alguns centros de investigação do país, através da bolsa de estudo, “Jovens à Descoberta”, onde, alguns estudantes do concelho têm a oportunidade de fomentar conhecimentos, participando num contexto real de trabalho, sendo uma verdadeira oportunidade escolar e de futuro, para esses alunos.

De salientar que, este será o terceiro ano consecutivo, que a escola abre candidaturas para o efeito.

No final do mês de julho, vários alunos da ESL terão oportunidade de se deslocar ao continente português, através da bolsa de estudo “Jovens à Descoberta”, para a realização de diversos estágios, na área científica, em centros de investigação de referência no país.

DL

(Artigo publicado na edição impressa de julho de 2018

Categorias: Educação, Local

Deixe o seu comentário