Açores com 18 novos casos, uma morte e 71 recuperações

FOTO DL

Os Açores registaram nas últimas 24 horas 18 novos casos de covid-19, sendo 13 em São Miguel e cinco na ilha Terceira, e 71 recuperações, estando atualmente 16 pessoas internadas.

A informação é avançada esta quarta-feira, 2 de novembro, no comunicado diário da Autoridade de Saúde Regional, segundo a qual os novos casos foram detetados na sequência de 1.302 análises realizadas nos dois laboratórios de referência da região.

Nas últimas 24 horas foram registadas 71 recuperações, sendo duas na ilha Terceira, uma no Faial, uma em Santa Maria e 67 em São Miguel.

A região conta agora com 38 cadeias de transmissão ativas, sendo 27 em São Miguel, uma partilhada entre São Miguel e São Jorge, nove na Terceira e uma no Pico.

A Autoridade de Saúde dá ainda nota da extinção de uma cadeia em São Miguel (Ponta Delgada partilhada com Lagoa) nas últimas 24 horas e o surgimento de duas novas cadeias em Rabo de Peixe (que vai ficar sob cerca sanitária a partir das 00:00 de quinta-feira e até 08 de dezembro), no concelho da Ribeira Grande, também em São Miguel, “mas distintas”.

Há também “uma nova cadeia em S. Brás, concelho da Praia da Vitória, na ilha Terceira”, refere aquela entidade.

Até agora extinguiram-se 17 cadeias de transmissão em toda a região.

Existem atualmente 367 casos positivos ativos, sendo 241 em S. Miguel, 120 na Ilha Terceira, dois no Pico, dois no Faial e dois nas Flores.

Foram detetados até hoje na região 1.062 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença covid-19.

Verificaram-se ainda 18 óbitos nos Açores devido à covid-19, 594 casos recuperados e 366 casos positivos ativos, dos quais 240 na ilha de São Miguel, 120 na ilha Terceira, dois na ilha do Pico, dois na ilha do Faial e dois na ilha das Flores.

Atualmente, estão internadas 16 pessoas, sendo sete no Hospital do Divino Espírito Santo de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, oito no Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira (dois dos quais em cuidados intensivos) e um no Hospital da Horta, no Faial.

Lusa/DL

Categorias: Saúde

Deixe o seu comentário