Açores vão ter grupo próprio para docentes de língua gestual portuguesa

O Secretário Regional da Educação e Cultura confirmou que os Açores vão criar, no ano letivo de 2019-2020, um grupo de recrutamento próprio para docentes de língua gestual portuguesa.

Avelino Meneses, que falava aos jornalistas no final de uma audição na Comissão de Assuntos Sociais da Assembleia Legislativa, adiantou que as vagas para o grupo de recrutamento 360 serão abertas “naturalmente” na escola dos Arrifes, que é “a escola de referência” no arquipélago para o ensino de surdos.

O titular da pasta da Educação salientou ainda que as unidades orgânicas do sistema de ensino da Região e, particularmente, a escola dos Arrifes já desenvolvem “uma série de atividades de sensibilização do ensino da língua gestual aos ouvintes, familiares e aos membros da comunidade”.

Esse trabalho pode ser verificado através da análise do plano de trabalhos da escola de referência para o ano letivo que está em curso, acrescentou.

Avelino Meneses admitiu, no entanto, a possibilidade de, “em uma ou outra escola”, criar, em termos extracurriculares ou de opção, a disciplina de Língua Gestual Portuguesa e que esta possa ser frequentada por ouvintes, familiares e membros da comunidade.

Nos Açores, trabalham atualmente em língua gestual portuguesa 15 professores, sendo nove docentes e seis intérpretes de língua gestual, colocados por várias escolas e em várias ilhas, mas com maior incidência na escola dos Arrifes, que, desde 2009-2010, é a “escola de referência” para o ensino de surdos.

DL/Gacs

Categorias: Educação

Deixe o seu comentário