Água de Pau assinala 500 anos de elevação a Vila

agua de pau 500  anos

Água de Pau assinala no final deste mês de julho, mais precisamente no dia 28, 500 anos de elevação a vila, uma data que está a ser assinalada com diversas atividades que envolvem toda a comunidade local.

No âmbito das comemorações já atuou na freguesia a Banda Militar num concerto de casa cheia. Ainda em junho, decorreu também a Assembleia Municipal na sede da Junta de Freguesia.

Para este mês de julho está agendada a realização do Festival Baixa D’Areia, que decorrerá nos dias 24, 25 e 26 de julho, e que entrará na sua segunda edição.

Ainda no âmbito das comemorações dos 500 anos de elevação a Vila, haverá o lançamento de um selo alusivo a esta comemoração, assim como o lançamento de um livro, ambos elaborados por alunos e docentes da EBI de Água de Pau.
José Fernando Costa reforça o facto de, no caso do livro, este ser direcionado aos jovens, para que possam conhecer melhor a sua freguesia, a sua história, tradições, cultura e acima de tudo a sua heráldica.

A decorrer está também um concurso de fotografia, através duma parceria com a Associação de Fotógrafos Amadores dos Açores, “Paisagens e Património da Vila de Água de Pau”. Como resultado deste concurso, resultará uma exposição constituída pelas 20 melhores fotografias.

Para o final do mês está agendada a comemoração oficial do meio século de Vila, com a realização da sessão solene.

Também a Câmara Municipal de Lagoa irá assinalar o 500.º aniversário da elevação de Água de Pau a vila com um diversificado programa comemorativo, que abrangerá diversas iniciativas de índole cultural.

A Câmara Municipal de Lagoa, irá perpetuar os 500 anos de elevação da vila de Água de Pau com a edição de uma medalha comemorativa e a Assembleia Municipal também se irá associar a esta efeméride com a realização de uma palestra proferida pelo Historiador José de Mello. Será igualmente editado um livro do mesmo historiador sobre a história e o património material e imaterial da Vila de Água de Pau.

Para assinalar estes 500 anos, o programa comemorativo contará ainda com um grande evento de cariz cultural, que se realizará no dia 23 de agosto e que contemplará um desfile de filarmónicas e grupos, com a dinamização da gastronomia e do artesanato do concelho,  sendo esta uma iniciativa que envolverá todas as Instituições que têm atividade em Água de Pau.

Pela noite dentro haverá lugar para concertos musicais, onde a primeira parte será animada por uma banda local, seguindo-se a atuação de um artista nacional. O evento encerrará com um espetáculo de fogo de artifício.

Freguesia oferece turismo

Um dos pontos fortes atuais da freguesia é o turismo. “Atualmente Água de Pau oferece cerca de 300 camas diárias ao turismo, com uma média de mil turistas a residir, sem falar nos que nos visitam sem permanecer”, recorda José Fernando Costa.

Ainda em termos turísticos, o autarca destaca os miradouros e as zonas balneares, que são locais atrativos para quem visita Água de Pau, com excelentes condições, igualmente utilizados pelos próprios habitantes.
José Fernando Costa destaca ainda a área da agricultura onde são produzidas as frutas, muito procuradas, anto pela população como por quem visita Água de Pau.

Mas nem tudo é como esperado, o autarca refere que à sede da junta têm chegada cada vez mais pedidos de ajuda, face à falta de trabalho.

“Diariamente deparamo-nos com situações de desemprego, de agradados familiares com os dois conjugues sem emprego há já algum tempo”.

O Presidente da junta de freguesia pauense recorda que a edilidade emprega atualmente 26 pessoas, temporariamente, como forma de ajudar a minimizar os efeitos negativos da falta de emprego e fugir a este flagelo que é preocupante.

Existe também algumas habitações com agregados familiares numerosos com poucos quartos, sendo esta uma situação que tem vindo a ser paulatinamente resolvida com recurso à Câmara de Lagoa e ao Governo Regional.

Como lamento José Fernando Costa destaca o facto dos pauenses serem um povo que além da sua freguesia, tem por hábito visitar outras freguesias do concelho, mas o contrário não acontece. “Infelizmente não vejo que o contrário aconteça, são muito poucos os lagoenses que nos visitam, enquanto os pauenses visitam as freguesias vizinhas. Temos bons restaurantes, bons espaços de lazer, boas praias, merecíamos outra atenção da própria população do concelho”, refere José Fernando Costa.

Outro destaque que o autarca não deixa passar em branco, tem a ver com o património arquitetónico, onde destaca as varandas das habitações, sendo Água de Pau das poucas zonas da ilha onde esta arquitetura mantém-se inalterada e tem sido preservada.

História

A vila de Água de Pau desempenhou um papel preponderante na colonização dos Açores, uma vez que foi aí que, em julho de 1500 se fixaram os primeiros povoadores, devido à existência de água potável. Água de Pau é uma das mais antigas Vilas dos Açores, tendo alcançado o estatuto de vila e sede de concelho em 28 de julho de 1515, por Carta Régia de D. Manuel I, pela fertilidade dos seus solos e pela abundância de água que estiveram na base da consolidação do núcleo de povoamento, conferindo-lhe este estatuto. A Vila de Água de Pau integrava o povoado de Ribeira Chã.

No Seculo XIX, “devido à falta de recursos e de elementos indispensáveis para poder continuar a ter uma administração regular“, o concelho de Água de Pau foi extinto por força do decreto de 19 de outubro de 1853, sendo o seu território incorporado no concelho da Lagoa. Pelo Decreto Legislativo Regional n.º 29/2003/A, de 24 de Junho, a freguesia de Água de Pau reforçou a categoria de “Vila”, que nunca perdeu.

DL

Categorias: Local

Deixe o seu comentário