Bolieiro deixa mensagem de esperança aos açorianos desempregados

JEDGARDO VIEIRA

O presidente do Governo dos Açores, José Manuel Bolieiro, endereçou esta quinta-feira, 24 de dezembro, na sua mensagem de Natal, uma “mensagem de encorajamento e esperança” aos que, na região, “estão desempregados ou que sofrem as consequências do desemprego nas suas famílias”.

“A nossa prioridade é a sua proteção e não descansaremos enquanto não conseguirmos minimizar o sofrimento dos mais desprotegidos, sem esquecer todos os que necessitam e merecem uma palavra de reconhecimento e de apoio do seu Governo”, considerou o social-democrata, em nota divulgada pelo executivo regional.

A crise de saúde pública que marcou 2020, lembrou Bolieiro, avançou “para uma crise económica, que veio fragilizar ainda mais” a economia regional e “aprofundar as desigualdades sociais”.

“Aos que estão desempregados ou que sofrem as consequências do desemprego nas suas famílias, quero dirigir, neste momento difícil, uma saudação particularmente afetuosa e uma mensagem de encorajamento e esperança”, prossegue o presidente do executivo dos Açores

“Estou convicto de que conseguiremos superar esta crise com o impulso comum de todos. E com esse impulso construiremos uma região mais robusta, mais solidária, mais bem preparada para enfrentar os desafios dos novos tempos, uma região mais moderna e próspera, territorial e socialmente coesa, dinâmica, que não deixe ninguém para trás, pois a força de uma sociedade é o seu elemento mais fraco, mais desprotegido”, acrescentou.

O governante deixou também uma “saudação especial e carinhosa a todos os açorianos, reforçada para os que celebram o Natal sozinhos, os que sofrem de doença, ou se sentem marginalizados, esquecidos ou tristes”, saudando também os imigrantes e a diáspora.

E concretiza, na sua primeira mensagem como presidente do Governo Regional: “O Natal deste ano é diferente. A pandemia tornou as nossas vidas diferentes. Reduzimos a expressão da nossa proximidade, da nossa afetividade, que tanto nos caracteriza, a um toque com o cotovelo ou uma vénia, o que é manifestamente pouco para um Povo que é acolhedor, que sabe ser e receber.

Mas a saúde pública tem sido a nossa prioridade e preocupação, e por isso, manifesto o orgulho que tenho no bom comportamento do nosso Povo e apelo a que continuem a ser um exemplo no cumprimento das medidas anunciadas pela Autoridade de Saúde Regional”, acrescentou.

Lusa/DL

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário