Bolieiro diz que decisões do Governo regional estão “científica e politicamente validadas”

© M.M.

O presidente do Governo regional dos Açores, José Manuel Bolieiro, disse hoje que as decisões de controlo da covid-19 na região foram “científica e politicamente validadas”, defendendo que o arquipélago está no “bom caminho” no combate à pandemia.

“As decisões do governo foram científica e politicamente validadas, portanto creio que estamos, no que diz respeito ao combate à pandemia, no bom caminho”, declarou o líder do executivo de coligação PSD/CDS-PP/PPM.

Bolieiro falava hoje no palácio de Sant’Ana, em Ponta Delgada, após ter recebido o embaixador da Rússia em Portugal, Mikhail Kamynin.

O social-democrata respondia às questões dos jornalistas sobre uma vigília marcada para sábado, junto ao Palácio de Sant’ana, sede da presidência do Governo regional, para alertar para os “gravíssimos prejuízos” causados pelas medidas contra a covid-19 em São Miguel, segundo os promotores.

“Nós aceitamos manifestações com total liberdade e sentido democrático na pluralidade de opinião e no incentivo cívico das manifestações. Hoje mesmo viajo para ilha Terceira, onde tenho responsabilidades, portanto não estarei cá [em Ponta Delgada]”, afirmou o presidente do Governo dos Açores. 

Questionado sobre se já teve contacto com os promotores do manifesto ou se conta os receber em audiência, Bolieiro referiu que não.

“Não se trata sequer de uma opção de audiência, porque então não seria escolhido o dia de amanhã [sábado], mas sim uma manifestação, e é muito bem-encarada, faz parte da liberdade de expressão e de opinião”, assinalou.

Segundo a agenda do PSD/Açores, o líder do partido, José Manuel Bolieiro, vai intervir no sábado, às 20:00, como orador convidado na Academia de Formação Política para Mulheres do PSD, da responsabilidade do Instituto Francisco Sá Carneiro, na Terceira.

Confrontados com a “subida de nível de risco do concelho de Ponta Delgada e consequentes medidas a implementar”, a partir das 00:00 de sábado, os subscritores do Manifesto Açoriano pelos Direitos Fundamentais promovem a vigília “com o intuito de chamar à atenção e apelar ao presidente do governo para os gravíssimos prejuízos que estas medidas infligem em vastos setores da economia da cidade e da ilha”.

“Os danos económicos provocados pelas medidas restritivas, de que o fecho dos estabelecimentos de restauração às 20:00 é das mais inexplicáveis e prejudiciais, são incomensuráveis, não só nos efeitos diretos na rentabilidade dos estabelecimentos e na previsibilidade da sua gestão”, afirmaram os promotores da vigília em nota de imprensa.

Lusa/ DL

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário