Câmara coloca a concurso público a construção da ciclovia da cidade de Lagoa

A autarquia de Lagoa colocou em concurso público a construção da Ciclovia da Cidade de Lagoa, cuja intervenção corresponde à área da orla marítima compreendida entre o Portinho de São Pedro (a nascente) e o Largo do Cruzeiro (a poente), na freguesia do Rosário.

Segundo o concurso publicado em Jornal Oficial a 1 de agosto, a obra terá um prazo de execução de 300 dias, devendo os interessados apresentar as propostas num prazo de 60 dias, através do endereço eletrónico: silvina.rocha@lagoa-acores.pt, ou em suporte papel, apresentando, para tal, os documentos, no edifício da Câmara Municipal, em Santa Cruz.

Segundo a publicação os concorrentes são obrigados a manter as respetivas propostas num prazo de 66 dias a contar do termo do prazo para a apresentação das propostas, sendo o critério de adjudicação a proposta economicamente mais vantajosa.

Recorde-se que a Presidente da Câmara Municipal de Lagoa anunciou em março último a aprovação da candidatura Açores 2020 para a construção da ciclovia, “tratando-se de um projeto que vem a contribuir para a mobilidade urbana sustentável, tendo como principal objetivo criar uma alternativa ao transporte rodoviário tradicional no centro da cidade”.

Na altura, uma nota da autarquia, referia que a ciclovia ficará localizada em zona habitacional, bem como zona industrial e comercial, entre outros equipamentos públicos e privados com fluxos de pessoas.

O propósito da sua construção passa também por fazer com que mais pessoas passem a usar meios de transporte como bicicleta e a pé, bem como conciliar o uso de modos de transporte coletivo de passageiros, em substituição de automóveis.

Na altura a autarca desafiou a criação de via ciclável que permitisse a ligação entre as três cidades da ilha: Ponta Delgada, Ribeira Grande e Lagoa.

A autarca considerou que, a sua concretização é garante da sustentabilidade futura daquilo que se pretende para o concelho de Lagoa e, em geral, para a ilha de S. Miguel em termos ambientais e até turístico, numa ótica de redução de carbono pelo uso reduzido do automóvel, e também de promoção de estilos de vida.

Por outro lado, é também um desafio que pode constituir uma forma de promoção turística das três cidades, podendo contribuir para um maior afluência de turistas nas mesmas, através de bicicleta ou mesmo a pé contatando diretamente com aquilo que as três cidades de melhor oferecem.”

DL

Categorias: Local

Deixe o seu comentário