CDS e PPM concorrem coligados nos Açores nas próximas Legislativas

Artur-Lima-CDS-PP-Paulo-Estevão-PPM-Coligação-eleições

“O CDS-PP Açores e o PPM decidiram constituir uma coligação, no círculo eleitoral da Região Autónoma dos Açores, no âmbito das eleições Legislativas nacionais de 2015”. Foi assim que Artur Lima e Paulo Estêvão anunciaram, esta segunda-feira, na ilha do Faial, o seu entendimento tendo em vista a eleição de um deputado açoriano desses partidos, pela primeira vez, à Assembleia da República.

Em conferência de imprensa conjunta os líderes regionais do CDS e do PPM, respetivamente, garantiram a “abertura a sectores independentes da sociedade açoriana” das listas da coligação de direita e deram a sua palavra de honra: “Estamos em condições de garantir que o deputado eleito pelo CDS/PPM será, acima de tudo, um deputado dos Açores. Um deputado com liberdade para defender os interesses dos Açores, acima de qualquer outra circunstância, algo que os eventuais eleitos pelo PS e pelo PSD não estão em condições de assegurar”.

Segundo Artur Lima a candidatura agora anunciada tem uma “diferença” substancial em relação às outras listas nacionais: “o projeto político da coligação reivindicará uma total autonomia de decisão em todos os temas em que estejam em causa os superiores interesses dos Açores”. Para além disso, acrescentou, “votar na coligação CDS/PPM significa a melhor opção para todos os que nos Açores querem evitar a vitória da esquerda e o regresso às políticas e práticas de Sócrates. A eleição do terceiro deputado do PS/Açores só pode ser parada através do voto na coligação CDS/PPM. Não existe outra alternativa”.

Opinião idêntica tem Paulo Estêvão que sublinhou que nas próximas eleições nacionais “votar útil, no sentido de impedir a vitória da esquerda e da extrema-esquerda nos Açores e em Portugal, é votar na coligação CDS/PPM” nos Açores. Os Presidentes do CDS e do PPM não tem dúvidas em afirmar aos açorianos que a coligação agora estabelecida “representa um espaço de renovação, de mudança, de compromisso e garantia que os nossos eleitos exercerão as suas funções exclusivamente centrados – e sem tutelas partidárias – na defesa dos interesses dos Açores”.

Quanto ao programa político a apresentar o Líder dos democratas-cristãos realçou, igualmente, diferenças conceptuais estruturantes face a PS e a PSD: “Enquanto o PS e o PSD se preocupam em criar mais níveis de poder e mais cargos políticos, a coligação CDS/PPM construirá um programa de ação política que terá como prioridades o desenvolvimento económico e o combate ao desemprego jovem. De forma específica, através da melhoria dos mecanismos de cooperação estratégica entre o Estado e a Região, queremos proteger os setores da agricultura e das pescas, apostar no aumento da penetração das nossas empresas no mercado nacional, imprimir um novo dinamismo à resolução da questão da Base das Lajes, melhorar as políticas de transportes, acessibilidades e turismo e enfrentar a enorme crise social que grassa em todas as ilhas da Região, eternizando situações de pobreza e dependência extremas”.

DL/CDS

Categorias: Sem categoria

Deixe o seu comentário