Centro de Artes Arquipélago e Ribeira Grande assinam protocolo de cooperação

FOTO CMRG

A Câmara Municipal da Ribeira Grande e o Centro de Artes Contemporâneas Arquipélago assinaram um protocolo, válido por um ano, que prevê “a cooperação em ações artísticas, culturais, formativas ou de investigação”.

“O protocolo prevê a participação em projetos artísticos e formativos, a cooperação em ações artísticas, culturais, formativas ou de investigação, bem como a difusão de obras artísticas, culturais e de investigação, tanto individuais como coletivas”, explicou hoje, em nota de imprensa, o presidente da câmara micaelense, o social-democrata Alexandre Gaudêncio.

Está também contemplada a “cooperação no âmbito da prestação de serviços logísticos, operacionais, técnicos, científicos e humanos”, destacou ainda o autarca.

O documento foi firmado pelo presidente do município e o diretor do espaço cultural, João Mourão, esta segunda-feira, 23 de novembro, e é válido por um ano, podendo ser renovado.

João Mourão, que foi nomeado para a direção do Centro de Artes Contemporâneas em 31 de agosto, afirmou, na altura, que pretendia desenvolver “a ideia de criar uma comunidade à volta do Arquipélago”.

Para a nova direção, o foco é “pensar como é que, localmente, o Arquipélago se pode tornar relevante, como é que, localmente, o Arquipélago se pode tornar um centro que serve pessoas, quase um centro comunitário, que dá as boas-vindas a toda a população e que, de algum modo, vá alicerçar os artistas locais”, afirmou, então, à Lusa.

O autarca da Ribeira Grande destacou a “pronta resposta por parte do novo diretor do Arquipélago ao desafio que lhe tinha sido lançado há pouco tempo, nomeadamente, a necessidade de haver um maior envolvimento daquele equipamento cultural com a comunidade local”.

Lusa/DL

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário