Contaminação por fungo leva ao corte de árvores no Parque Urbano de Ponta Delgada

A Câmara Municipal está a proceder ao corte e remoção de algumas espécies arbóreas de Cipreste-de-Leyland (Cupressocyparis leylandii) existentes no Parque Urbano de Ponta Delgada, o que acontece devido ao avançado estado de contaminação das mesmas por fungos nocivos (armillaria, pestalotiopsis funerea).

A opção pelo corte e remoção das árvores em referência tem a ver com o facto de não existir tratamento para o combate à contaminação. Esta ação visa controlar a proliferação dos fungos e minimizar o perigo de queda das espécies contaminadas.

Entretanto, a Câmara Municipal de Ponta Delgada, consciente do impacto que este corte poderá causar, já procedeu à plantação de cerca de 500 árvores no início de 2019.

Para o início de 2020, está prevista a plantação de mais de duas mil árvores.

Desta forma, pretende-se, também, diversificar a flora no Parque Urbano, não só com a introdução de espécies ornamentais existentes nos Açores, mas também com espécies endémicas, promovendo assim a biodiversidade.

DL/CMPD

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário