Famílias desalojadas por incêndio no Faial ainda não regressaram a casa

SARA SOUSA OLIVEIRA / DL

As 10 famílias desalojadas na terça-feira devido a um incêndio num bloco de apartamentos na cidade da Horta ainda não regressaram a casa e só deverão fazê-lo na sexta-feira, revelou esta quinta-feira, 17 de dezembro, o presidente do município açoriano.

“Há uma investigação policial que está ainda a decorrer. Enquanto essa investigação estiver a decorrer, não é possível as pessoas voltarem a casa, mas está a ser assegurado pela Ação Social e pelo Governo [Regional] o pagamento das despesas com a estadia dessas famílias”, disse à Lusa José Leonardo Silva, presidente do único município da ilha do Faial.

Segundo o autarca, só esta sexta-feira a investigação, que está a ser coordenada pela Polícia Judiciária, deverá estar concluída, para que os técnicos do município e do Governo Regional possam depois efetuar a vistoria ao edifício.

“Tenho de salientar, contudo, que no decorrer deste processo quem quis deslocar-se às suas habitações, para ir buscar medicamentos ou outros bens de primeira necessidade, pôde fazê-lo, acompanhado de uma assistente social e um agente da PSP”, lembrou o autarca.

Um incêndio que deflagrou ao início da noite de terça-feira num bloco de apartamentos, no centro da cidade da Horta, provocou uma morte e 10 feridos ligeiros, devido à inalação de fumos, deixando desalojadas 10 famílias, num total de 30 pessoas.

O bloco de apartamentos onde o incêndio deflagrou foi construído há pouco mais de uma década, para albergar alguns dos sinistrados do terramoto de 1998 na ilha do Faial.

Lusa/DL

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário