Governo dos Açores compromete-se a abrir concursos para enfermeiros em 2021

© SRSD

 O secretário regional da Saúde e Desporto dos Açores garantiu esta terça-feira, 22 de junho, aos estudantes de enfermagem de Angra do Heroísmo que serão abertos, este ano, concursos para os hospitais e centros de saúde açorianos, sem revelar quantos.

“Está a ser feito, neste momento, um levantamento das necessidades. O que é certo é que vamos precisar que os enfermeiros formados na região fiquem na região, ao contrário do que aconteceu no ano passado, em que perdemos a oportunidade de contratar cerca de 80 enfermeiros que muita falta têm feito neste processo [pandemia de covid-19]”, adiantou, em declarações à Lusa o titular da pasta da Saúde nos Açores, Clélio Meneses.

O governante falava à margem de um encontro, por videoconferência, com os finalistas do curso de enfermagem da Escola Superior de Enfermagem de Angra do Heroísmo, em que garantiu a intenção de reforçar o número de enfermeiros no Serviço Regional de Saúde.

“Estamos, antes do fim da vossa formação, a dizer que precisamos muito dos enfermeiros que vão ser formados e que vamos abrir concursos, tendo em conta a necessidade que o sistema tem”, afirmou, dirigindo-se aos alunos.

O secretário regional da Saúde do executivo da coligação PSD-CDS-PPM, que tomou posse em novembro de 2020, criticou também o anterior Governo regional (PS) por não ter integrado os cerca de 80 enfermeiros formados na região no ano passado.

“Foi um grande prejuízo para a região e para o Serviço Regional de Saúde como ainda agora estamos a ver. As grandes dificuldades que estamos a ter ao nível da resposta aos enormes e intensos desafios deste tempo pandémico também resultam muito da falta de pessoal”, disse.

Clélio Meneses defendeu, por outro lado, que “a Saúde tem de ser cada vez mais preventiva e cada vez mais assente nos cuidados primários e na promoção da saúde”, considerando que a implementação do enfermeiro de família dará um contributo importante nesse sentido.

“Já está definido e vai ser criado o enfermeiro de família. Já está legislado, estamos em fase de regulamentação”, avançou.

Destacando a qualidade da formação em enfermagem nos Açores, o governante disse que é preciso motivar os profissionais para evitar que abandonem a região.

“É essencial que tenhamos profissionais motivados, que fazendo aquilo de que gostam e para que se formaram, sintam que são bem recebidos nos serviços, que têm condições de trabalho em termos técnicos, humanos e de espaços adequados e também em termos remuneratórios”, apontou.

Nesse sentido, disse que o executivo estava a fazer um “esforço enorme” para “proceder à regularização remuneratória e de progressão nas carreiras dos enfermeiros”, salientando que estavam em causa cerca de 10 milhões de euros.

“O que sinto é que os enfermeiros da região estão cansados de palavras de apreço, precisam de sentir isso nas suas vidas”, reforçou.

O presidente da secção regional dos Açores da Ordem dos Enfermeiros, Pedro Soares, presente no encontro, considerou igualmente um “erro” a não integração dos profissionais recém-formados em 2020 no Serviço Regional de Saúde.

“No ano passado tentámos defender que era fundamental a contratação dos 80 colegas que terminavam o curso. Isso não aconteceu e neste momento percebemos o erro que foi não termos aproveitado”, frisou.

Pedro Soares considerou que é preciso criar condições de motivação e de fixação dos enfermeiros nos Açores, sobretudo nas ilhas mais pequenas.

“Estamos a participar na vacinação em massa das ilhas mais pequenas. Terminámos ontem [segunda-feira] a primeira ronda e a conclusão a que chegamos é que efetivamente há uma carência nestas ilhas de uma maior intervenção da parte da enfermagem. Há uma desmotivação muito grande no terreno. Vamos juntos tentar alterar este paradigma”, afirmou.

Questionado sobre o número de vagas para enfermeiros que deviam abrir no serviço regional de Saúde, Pedro Soares disse que “havendo possibilidades em termos financeiros, todos esses colegas [80] são necessários em todas as ilhas”.

Lusa/ DL

Categorias: Saúde

Deixe o seu comentário