Jornal Diário da Lagoa – o 14º periódico do concelho

Até ao ano de 2014, a Lagoa esteve 77 anos sem a publicação de um periódico, tendo surgido em fevereiro, desse ano, o Jornal “Diário da Lagoa”. Fui o fundador deste jornal, e diretor até à presente data.

O “Diário da Lagoa”, tal como aconteceu com alguns periódicos, surgiu por se sentir algum esquecimento da Lagoa e do que neste concelho ia acontecendo, pela comunicação social.

O que pela Lagoa se fazia era muito pouco divulgado, pouco se sabia, pelo menos, era isso que sentia enquanto jornalista.

Já numa Era das novas tecnologias e da internet, o “Diário da Lagoa” começou por se publicar apenas na internet, e só mais tarde passou a ser publicado em papel.

21 de fevereiro de 2014 é a data oficial do surgimento deste jornal, com registo na ERC (Entidade Reguladora da Comunicação Social) e que a partir de abril do mesmo ano começou por publicar, em versão PDF, uma edição mensal.

Depois de vários desafios lançados e criadas as condições, surgiu a primeira edição impressa do jornal “Diário da Lagoa, a 02 de outubro de 2014.

Assim, desde essa data, mensalmente, é publicada a versão impressa deste jornal, apenas com notícias do concelho, ao contrário da sua página da internet (www.diariodalagoa.pt) que acaba por ser mais abrangente, levando o que pela Lagoa se vai fazendo pelo mundo fora, especialmente junto das comunidades de emigrantes que anseiam por notícias ‘do lado de cá’.

Esta é a edição 69 do jornal “Diário da Lagoa”, numa distribuição gratuita pelo concelho, sob a minha direção.

Ao longo destas 69 edições, o jornal “Diário da Lagoa” tem vindo a divulgar o que pela Lagoa se vai fazendo, quer a nível desportivo, cultural, religioso, político, entre outros.

Tem sido dado grande enfoque na promoção das instituições do concelho, dando a conhecer a sua história e as suas atividades.

Nunca descorando o passado e o presente, temos vindo a publicar diversos artigos de pesquisa sobre a história da Lagoa e das suas gentes até aos dias de hoje.

Este é o propósito deste periódico, registar, para que, no futuro, outros possam saber o que pela Lagoa se foi fazendo, aliás, tal como outros periódicos da imprensa antiga da Lagoa.

Depois duma interessante pesquisa, consegui perceber algumas coincidências entre os periódicos já publicados e o “Diário da Lagoa”, principalmente no seu propósito de colocar a Lagoa no mapa da imprensa.
Julgo que, nestes mais de cinco anos de trabalho, temos conseguido esse propósito, pois, como alguém dizia, “é preciso recordar o passado para acreditar no futuro”.

Ao contrário dos seus antecessores, no ‘Diário da Lagoa’ nunca foi transmitida a opinião do seu diretor, foram sim relatados acontecimentos para memória futura.

Este é um trabalho que tem sido possível graças à colaboração de várias pessoas, sim, porque apesar de ser eu o fundador, diretor, redator, e algo mais, sozinho pouco ou nada se faz, e com este conjunto de pessoas que colaboram com o jornal, tem sido possível elevar a qualidade da informação que chega mensalmente aos nossos leitores, com artigos de interesse para a Lagoa.

Estamos numa época onde tudo se passa na internet, com as redes sociais que falam de tudo e mais alguma coisa, mas esta não é segura, não é fiável.
Em maio deste ano quase perdemos toda a informação num ataque informático, mas felizmente conseguimos recuperar toda a informação já divulgada por este meio global.

Mas foi um aviso, o papel é muito importante.

Espero que daqui a uns 30, 40, 50 ou mais anos, outros possam falar da História da Lagoa, naquele que hoje é o nosso presente e poderem ter onde ir buscar essa informação. Tem sido esse o meu e ‘nosso’ foco.
Mas como tudo tem um fim, infelizmente chegou ao momento de deixar este projeto que, com muito carinho, fundei e ‘alimentei’ com muitas, mas muitas horas sem dormir.

Mas a obra fica e vai ter a sua continuidade.

A partir da próxima edição, o Jornal Diário da Lagoa passa para “outras mãos”, mas acredito que o seu principal objetivo continuará a ser o mesmo, falar da Lagoa e registar a sua História para memória futura.

Nestas minhas últimas palavras, não posso deixar de agradecer a todos os que, de uma forma ou de outra, me ajudaram neste projeto, em mim acreditaram e deram força para que o “Diário da Lagoa” chegasse onde chegou.

Muito gostava de continuar a escrever, mas há que saber parar quando temos que parar.

Que saibam os lagoenses aproveitar este projeto porque, no futuro, só se saberá o que ficar escrito.

Um bem-haja a todos e ….até sempre.

Norberto Luís
(Artigo publicado na edição impressa de dezembro de 2019

Categorias: Opinião

Deixe o seu comentário