Lagoa tem nos Açores o Estatuto de «Concelho do Presépio» desde 1862

Roberto Medeiros

Neste mundo, há coisas que podemos fazer sozinhos e coisas que só podemos fazer com outras pessoas. No projeto de desenvolvimento da arte bonecreira dos artistas-barristas de Lagoa tenho-me envolvido desde 1990 em colaboração com a Câmara Municipal de Lagoa, depois a partir de 2009, por conta própria e de novo em 2017 e 2018 em parceria com a CML, com Cristina Calisto na presidência e Albertina Oliveira no Pelouro da Cultura.
A coragem para ser um embaixador ativo desta bandeira, mesmo perante barreiras que se me colocaram, foi uma das razões pelas quais eu deposito calma e certeza em cada passo que dou. O caminho que fiz para aqui chegar nem sempre foi doce, mas as barreiras poucas eficácias tiveram, antes, deram-me asas.

Percebi que há uma disparidade enorme no que é expectável no tipo de oportunidades e no tipo de pressões sob as quais somos julgados ainda hoje na sociedade, “Não estou disposto a não ver um avanço claro na tradição bonecreira ao longo da minha vida. Portanto, vou continuar a lutar todos os dias”.

Apesar do sucesso conseguido na promoção da arte bonecreira e consequente divulgação dos Presépios da Lagoa junto das Comunidades Emigrantes lusa e americana, não abdico de oportunidades cheias de outras experiências muito para lá das paredes dum «quarto-de-presépio» da Lagoa, como é conhecida esta tradição pelos cantos do nosso concelho.

FOTO JOHN ROBSON

“Acho que somos uma geração que percebeu que o dinheiro não é tudo e não é um símbolo de felicidade”, penso eu. Longe dos tempos em que era vice-presidente da CML, e possuía mais meios de fazer crescer a tradição do Presépio da Lagoa, agora eu dispo o fato, mas nunca o entusiasmo: “Não importa o quão ocupado ou cansado esteja, direi sempre ‘Sim’ à vida e aos «presépios» e estarei ao lado dos artistas-bonecreiros da Lagoa e dos que gostam e defendem esta arte para partilhar memórias das minhas experiências nesta área que durarão para sempre”.

Há mais de vinte anos que os Presépios da Lagoa percorrem comigo espaços museológicos e salas de exposição nos Estados Unidos. Desde museus, galerias de arte, igrejas, santuários, mansões milionárias, estabelecimentos comerciais [pontos de encontro das comunidades de emigrantes], restaurantes, agências de viagens, bibliotecas, escolas e universidades. Alguns presépios foram motivo de conferência ao longo dos anos na costa leste e oeste dos Estados Unidos. Nestes casos, comprei e ofereci-os pessoalmente, depois do evento, às instituições que me receberam e se interessaram pela arte bonecreira de Lagoa – Açores. Foram três: na Biblioteca Casa da Saudade, em New Bedford, na costa leste e nos dois Museus de Antropologia das Universidades de Berkeley e de San José da Califórnia, na costa oeste dos Estados Unidos.

Presépio da Lagoa na Mansão “The Belcourt Castle “ em Newport, Rhode Island, EUA, que contou com mais de 500 convidados
FOTOS  JOHN ROBSON

Sob a ameaça da pandemia do covid-19 no natal de 2020, recolhi-me por precaução e, desde 1999, é a primeira vez que não me desloco aos Estados Unidos para as minhas habituais 4 exposições de presépios da Lagoa em diferentes cidades de Massachusetts e Rhode Island. No entanto, a “Portugalia Marketplace” em Fall River contará neste natal com um dos presépios que deixei em janeiro deste ano com o meu amigo e colaborador lagoense do Rosário, José Pires que elaborará ali a 6ª exposição dos meus presépios naquele estabelecimento comercial que se transformou, pelo Natal, no Ponto de Encontro da comunidade portuguesa e americana para ver o Presépio da Lagoa na Nova Inglaterra.

Abertura duma Exposição do Presépio da Lagoa na “Portugalia Marketplace” na cidade de Fall River, nos EUA FOTO JOHN ROBSON

O Presépio da Lagoa na Belcourt Mansion de Newport
Segundo Augusto Pessoa, jornalista do Portuguese Times, de New Bedford: “Nunca em anos anteriores, os órgãos da comunicação social, dos Estados Unidos, rádio, jornalístico e televisivo deram tanta relevância e divulgação aos presépios da Lagoa como desta vez. Só a televisão ultrapassou as 6 horas de emissão, as rádios 4 horas e os jornais portugueses e americanos desdobraram-se em diversas edições com artigos de reportagem e opinião sobre os presépios e o trabalho do promotor destas realizações culturais naquele país. Por seu lado a RDP e RTP Açores, RTP1, RDPI, Lusa e Tribuna da Madeira contactaram Roberto Medeiros, através dos seus correspondentes nos EUA para cobrirem estes eventos também e em particular o Presépio da Lagoa em “Belcourt Castle Mansion”, uma mansão milionária de Newport, Rhode Island.

No dia 9 de dezembro, de 2007, pelas 18h30, foi inaugurada a 8ª Exposição do Presépio Tradicional da Lagoa, no Belcourt Castle. Este foi um momento importante para a Câmara Municipal de Lagoa, uma vez que se trata da primeira exposição que esta realizou nesta cidade norte-americana e, tanto mais, por ficar exposta no Belcourt Castle, um dos mais emblemáticos edifícios da região, conhecido pela valiosa coleção de antiguidades que integra referente a 32 países.

Localizado numa das mais importantes ruas de Newport, a Bellevue Avenue, esta exposição no Belcourt Castle era aguardada com grande expectativa por parte da comunidade e da organização do evento.
Para completar este importante dia, houve ainda um recital de Canto e Piano, a cargo da soprano Lagoense, Natália de Lima Ferreira, e da pianista Alexandra Mascolo-David.

Esta foi uma oportunidade que surgiu através de um convite efectuado a Roberto Medeiros, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Lagoa, aquando da sua deslocação aos EUA em Dezembro do ano transacto, na altura para promover uma exposição do presépio tradicional da Lagoa nacidade irmã de Bristol.

(Crónica publicada na edição impressa de dezembro de 2020)

Categorias: Opinião

Deixe o seu comentário