Líder do PS/Açores denuncia tentativas de condicionar as candidaturas do partido

© D.R.

O presidente do PS/Açores, Vasco Cordeiro, repudiou esta quarta-feira, 8 de junho, as “tentativas de condicionar” as candidaturas do partido às eleições autárquicas deste ano, através de “pressões” e “ameaças veladas”, criticando o Governo regional de coligação PSD/CDS-PP/PPM.

“Não pode passar sem uma palavra de repúdio aquelas que são as tentativas de condicionar as candidaturas do PS. As ameaças veleadas, as pressões, tudo aquilo que visa condicionar o exercício de uma liberdade que é nossa”, afirmou Vasco Cordeiro, num discurso enviado pelo PS/Açores.

Segundo comunicado, Vasco Cordeiro discursava na apresentação da candidatura de Lurdes Alfinete à Câmara da Ribeira Grande.

O socialista disse existir um “agastamento” e um “incómodo” do Governo regional com o “exercício da crítica”, exemplificando com as declarações do secretário da Saúde, Clélio Meneses.

Após Vasco Cordeiro ter defendido um reforço da vacinação contra a covid-19 em São Miguel, o governante criticou o socialista, acusando-o de “crítica destrutiva”.

“Não é assim que se exerce a democracia, não é assim que se faz a democracia”, atirou Cordeiro, referindo-se à postura dos membros do Governo dos Açores.

Esta quarta-feira, o secretário da Saúde dos Açores lamentou que as “boas notícias” relativas à vacinação contra a covid-19 na região sejam recebidas com “um certo incómodo”, em reação às críticas do líder regional socialista.

Vasco Cordeiro disse que o atual executivo “tem dado vastas provas de, apesar de ser jovem na existência, ser velho, muito velho, nos tiques e nos vícios”.

O socialista considerou as próximas eleições autárquicas “importantes” devido aos recursos financeiros comunitários que irão chegar aos Açores, devido ao Plano de Recuperação e Resiliência e ao Quadro Financeiro Plurianual. 

Cordeiro, que presidiu ao Governo dos Açores entre 2012 e 2020, lembrou que entre 2021 e 2027, a região vai “quase que duplicar os recursos financeiros que tem à sua disposição, quando comparado com o período de 2014 e 2020”.

O líder dos socialistas açorianos enalteceu ainda a possibilidade de a Ribeira Grande ter a primeira presidente de Câmara com a candidatura de Lurdes Alfinete.

“Este fator de novidade, de inovação, de consciência daquilo que é preciso agora, nesta conjuntura e neste contexto, é trazido pela candidatura de Lurdes Alfinete e será concretizado pela Lurdes Alfinete como presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande”, afirmou Vasco Cordeiro.

Nas autárquicas de 2017, o PSD teve 66,96% dos votos na Ribeira Grande (cinco mandatos) contra 27,14% do PS (dois mandatos).

As eleições autárquicas têm de ser marcadas pelo Governo para entre 22 de setembro e 14 de outubro.

Em Portugal há 308 municípios (278 no continente, 19 nos Açores e 11 na Madeira) e 3.092 juntas de freguesia (2.882 no continente, 156 nos Açores e 54 na Madeira).

Lusa/ DL

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário