Mais de 200 trabalhadores não docentes nos quadros das escolas dos Açores

© ALRAA

O Governo regional dos Açores “está a ultimar um processo que conduzirá à integração nos quadros das escolas públicas da região de mais de 200 trabalhadores não docentes” até agora “em situação precária”, foi hoje anunciado.

A informação foi avançada pela secretária regional da Educação, Sofia Ribeiro, no âmbito de uma visita, na quinta-feira, à Escola Básica e Secundária das Flores.

A titular pela pasta da Educação nos Açores explicou que, “com esta medida, que decorre do processo de integração dos trabalhadores da administração pública regional, fruto de decreto orçamental para este ano, serão abrangidos assistentes operacionais, assistentes técnicos, técnicos superiores e técnicos de informática nos quadros das várias unidades orgânicas”.

De acordo com a secretária regional, citada numa nota enviada hoje às redações, findo este processo, “será feita uma reavaliação de todo o sistema educativo regional, de forma a identificar as falhas”, para que se possa “reorientar a organização dos estabelecimentos de ensino relativamente às necessidades do pessoal não docente”.

“O passo seguinte consistirá num sistema de colocação de trabalhadores que assente essencialmente em contratos efetivos de trabalho, diminuindo o recurso a programas ocupacionais”, referiu ainda.

A 27 de agosto foi publicada a lista de colocações na oferta de emprego docente para este ano escolar, num total de 495 vagas.

Durante a visita à escola das Flores, a governante adiantou que este ano escolar “arranca com mais quatro mil computadores portáteis, distribuídos em todas as unidades orgânicas”, no âmbito do concurso internacional de aquisição de equipamentos tecnológicos a distribuir pelas escolas durante este mandato e que totaliza 1,8 milhões de euros.

As aulas do próximo ano letivo, nos Açores, iniciam-se a 13 de setembro, segundo o calendário escolar aprovado, por unanimidade, em reunião do Conselho Coordenador do Sistema Educativo Regional.

O próximo ano letivo, na região, vai ter três interrupções, a primeira das quais no Natal (de 20 a 31 de dezembro de 2021), a segunda pelo Carnaval (de 28 de fevereiro a 2 de março de 2022) e a terceira por altura da Páscoa (de 4 a 18 de abril de 2022).

O ano letivo termina a 9 de junho de 2022 para os alunos dos 9.º, 11.º e 12.º anos.

Já para os alunos dos 5.º, 6.º, 7.º, 8.º e 10.º anos as aulas terminam em 15 de junho.

Segundo o calendário escolar, o termo do ano letivo decorrerá entre 09 de junho e 24 de junho de 2022, dependendo do grau de ensino.

Lusa/DL

Categorias: Educação

Deixe o seu comentário