Nestas eleições desejamos implementar um futuro que já reside em nós

Sónia Domingos
2ª candidata do PAN por São Miguel

O PAN apresenta-se a estas eleições regionais com um programa inovador, coeso e com a participação de tantos cidadãos que nos ajudaram a dar asas a uma nova visão, onde a palavra que transversalmente melhor o define é a sustentabilidade.

A sustentabilidade é uma estratégia que permite o desenvolvimento humano actual e das gerações futuras de forma segura. Este modelo deve ser economicamente viável, socialmente justo e ecologicamente correto, respeitando a multiculturalidade.

Para o PAN uma economia sustentável contempla medidas que permitam um crescimento sólido e continuado, baseadas em actividades diversificadas e de valor agregado, priorizando a soberania alimentar, a independência energética e uma correcta gestão do mar, num sistema transparente e regulamentado, respeitador da biodiversidade, pugnando pela coesão entre as ilhas, garantindo as acessibilidades e, sobretudo, abandonando um sistema económico baseado em monoculturas que fragilizou a criação de riqueza, agravou a dependência do exterior e promoveu a saída dos jovens pela fraca empregabilidade.

Um modelo socialmente justo é o que valoriza as pessoas, a sua qualidade de vida, promove a inclusão social e acesso à habitação, combate a pobreza, educação e sobretudo à saúde. Pretendemos instituir o rendimento básico de emergência, uma maior qualificação profissional, apoio aos estudantes necessitados e dar incentivos à criação de emprego; na habitação criar incentivos ao arrendamento a longo prazo e a custo justo; na educação é crucial o combate ao abandono escolar e incentivos à fixação de docentes; na saúde apostamos na prevenção da doença, nos cuidados primários de saúde, na saúde pública, melhorar a rede de telemedicina, incentivar a fixação de profissionais e criar a Via Verde Regional do AVC. Pretendemos ainda instituir o Programa Radar Regional para monitorização de idosos em isolamento.

Finalmente, é fundamental combate às alterações climáticas, reduzindo a pegada carbónica causada pela agropecuária, incentivos que beneficiem a produção hortícola e frutícola biológicas através da reconversão agrícola. Neste âmbito o PAN pretende criar uma Secretaria para o Ambiente e Alterações Climáticas.

No âmbito da energia, é possível produzir de forma sustentável nas ilhas com fontes 100% limpas e renováveis até 2026, potenciando a captação da energia solar e eólica, mantendo a geotermia. Ao nível da gestão Mar, é fundamental a defesa de ecossistemas marinhos, proibição de pesca que seja destrutiva e criar medidas protecionistas como uma Brigada Regional de Vigilância Marítima.

No domínio da defesa do bem-estar animal interdição de práticas violentas e que infligem sofrimento, proteger todos os animais, sejam domésticos, antecipando o fim do abate para 2021, sejam de grande porte através de legislação mais robusta que os dignifique. Ao nível da Turismo é necessário respeitar e gerir a capacidades de carga das cidades e das zonas naturais, impedindo intervenções invasivas e de alteração cénica da paisagem e nas cidade, devolvendo-as aos açorianos com justo arrendamento, impondo algumas limitações às explorações turísticas.


O Diário da Lagoa convidou os 13 partidos candidatos às eleições legislativas dos Açores a expressarem as suas ideias aos leitores.

Categorias: Opinião

Deixe o seu comentário