Nove projetos apoiados nos Açores no âmbito da candidatura a Capital da Cultura

Sugestão do local de intervenção da bússola “Ponta Delgada” a inserir no centro do deck de madeira © JOEL LOPES FERNANDES

A candidatura Azores 2027, relativa à Capital Europeia da Cultura, e a cooperativa Cresaçor selecionaram nove projetos no âmbito do programa-piloto “Mão em Mão” para apoio financeiro, sendo o principal vencedor um arquiteto de naturalidade suíça residente em São Miguel.

Segundo uma nota de imprensa da Câmara Municipal de Ponta Delgada, bússolas com informação sobre as ilhas vizinhas, a itinerância de espetáculos de teatro, o intercâmbio de músicos de diferentes géneros musicais, a recolha de histórias dos Açores, a criação de uma coleção de postais ou a construção de um herbário comunitário foram algumas das propostas vencedoras.

Azores 2027 é o projeto de candidatura de Ponta Delgada a Capital Europeia da Cultura, em articulação com outros municípios e ilhas açorianas, contando com o apoio do Governo regional dos Açores.

“São nove os projetos selecionados para serem implementados no arquipélago no seguimento da convocatória ‘Mão em Mão’, lançada em julho, pelo Azores 2027 e pela Cresaçor – Cooperativa de Economia Solidária, e que desafiava pessoas, grupos informais e associações de várias áreas a apresentarem pequenas propostas culturais, sociais e educativas”, refere a nota do município açoriano.

Os projetos beneficiam de um apoio financeiro de 1.500 euros e serão implementados até 1 de janeiro de 2022, tendo as candidaturas vencedoras sido oriundas de São Miguel, Faial, Terceira, Corvo e Holanda.

O projeto de Joel Lopes Fernandes, arquiteto com naturalidade suíça, a viver em São Miguel há quatro anos, foi o que obteve melhor pontuação.

De acordo com a nota do município, o projeto “consiste na colocação de bússolas, informativas e interativas, em pontos estratégicos de espaços públicos defronte ao oceano em cada uma das ilhas do arquipélago, com vários elementos desenhados”.

Em causa estão coordenadas geográficas, informações científicas, ícones ilustrativos, símbolos e pictogramas, apontamentos poéticos de escritores, letras de músicos açorianos, curiosidades açorianas, referências históricas e a indicação de distâncias entre ilhas.

O projeto submetido por Sara Vanessa Santos ficou na segunda posição, tendo sido apresentado em nome da associação cultural Teatro de Giz, da ilha do Faial.

Consiste na itinerância da leitura encenada de “O Piquenique na Guerra”, de Fernando Arrabal, pelas freguesias das ilhas vizinhas do Pico e São Jorge.

Henrique Constância, natural de Ponta Delgada, mas a viver em Amesterdão, onde estuda violoncelo, ficou na terceira posição, sendo que o seu grupo musical, Mankes Piano Quartet, vai levar a São Miguel uma performance da música clássica, com obras de Mozart, e promover oficinas musicais junto de grupos de música tradicional de duas comunidades de São Miguel.

Estão abrangidas a Lagoa, com o Grupo de Folclore O Grujola, e a Ribeira Grande, com o Grupo de Castanholas de Rabo de Peixe, e que resultarão em concertos.

Segundo o município, foram submetidas 53 candidaturas de sete ilhas do arquipélago – São Miguel, Santa Maria, Terceira, Pico, Faial, Flores e Corvo -, três do continente e quatro do estrangeiro, nomeadamente da Noruega, da Bélgica e da Holanda.

A comissão de apreciação do projeto-piloto “Mão em Mão” é constituída por Ana Cunha Silva, da Cresaçor, Nuno Costa Santos, da equipa coordenadora do Azores 2027, e Maria João Ruivo Sousa, do conselho consultivo do projeto da candidatura.

Lusa/ DL

Categorias: Cultura

Deixe o seu comentário