Novo programa de formação para ativos e desempregados lançado em breve

© DL

O Governo regional dos Açores vai lançar “em breve” um novo programa de formação profissional destinado a desempregados e ativos que neste momento estão sem ocupação, a ser desenhado pelas empresas e entidades formadoras, foi hoje anunciado.

Na sequência de uma deslocação à Escola Profissional Inetese – Instituto de Educação Técnica Açores, no concelho de Lagoa, ilha de São Miguel, o secretário Regional da Juventude, Qualificação Profissional e Emprego, Duarte Freitas, referiu aos jornalistas que esteve a “auscultar uma das entidades envolvidas na formação profissional nos Açores e a conferir o desenho de um novo programa, a lançar em breve”, que será “desburocratizado, de acesso simples”.

“O programa visa ter uma formação à medida para as empresas e para os ativos. Este novo programa que estamos a desenhar, e que será aprovado brevemente, pretende objetivar a formação para ativos empregados e desempregados”, declarou.

O titular da pasta da Qualificação Profissional e Emprego especificou que “os empregados, que neste momento terão menos atividade, podem aproveitar este período baixo para se formarem e as empresas podem formá-los, e também aqueles ativos que estão desempregados”.

Duarte Freitas acrescentou que pretende deixar-se o “desafio de parceria entre as entidades formadoras e as empresas para que, de mãos dadas, construam projetos de formação à medida” das suas necessidades, “aproveitando este momento mais baixo da economia para melhorar as qualificações dos empregados e dos próprios empresários”.

O programa terá um “modelo de consultoria” para as microempresas com menos de dez trabalhadores, no âmbito do qual “as entidades formadoras poderão formar não só os trabalhadores como os empregadores”, referiu.

Segundo Duarte Freitas, o programa vai contemplar também “projetos para empresas com mais de 10 funcionários poderem formar setorialmente”, tendo exemplificado com uma formação específica no restaurante, para o pessoal da cozinha, bem como para o pessoal da sala.

Duarte Freitas disse ainda que se pretende “implementar uma nova geração de programas de formação”, podendo esta iniciativa ser uma “espécie de programa piloto de qualificação de ativos e vocacionado para uma parceira muito próxima entre as empresas e as entidades formadoras”.

O responsável defendeu também que se deve aproveitar estes meses antes dos verão, “em que se está num momento baixo da economia”, antevendo que a partir dessa altura se possa voltar a verificar um crescimento, “se os efeitos pandémicos começarem a diminuir”.

Neste momento, estão inscritos nas agências de emprego dos Açores cerca de sete mil ativos que “serão objeto de uma atenção particular” para regressarem qualificados ao mercado de trabalho, a par das empresas que foram mais atingidas pela quebra do mercado, acrescentou.

Lusa/ DL

Categorias: Educação

Deixe o seu comentário