O Sonho

Matilde Dias Pereira Sabino
Psicóloga Clínica e da Saúde

Sempre tive sonhos. Sonho de ser médica, sonho de ser mãe de muitos filhos, sonho de poder ajudar toda a gente.
Os principais não concretizei. E durante algum tempo sofri, por eles, pelos sonhos perdidos.
A Caminhada é assim. Sonhamos, idealizamos e depois lutamos pelos sonhos. Sim, se não lutarmos uma e outra vez, nunca poderemos dizer que não os alcançamos por falta de esforço. Mas porque tinha de ser assim.
Eu lutei pelos meus sonhos, mas alguns, não estavam a mim destinados. E aí tive de Aceitar. Com benevolência e compaixão por mim própria, pois lutei muito. Sem culpas, sem remorsos, e finalmente sem tristeza.
A não concretização de um sonho pode ser motivo de desilusão e mágoa, para consigo próprio e que, acrescentando a todos os desafios, perdas, quedas, desilusões do Caminho ao final de algum tempo a escuridão é tal, que a pessoa já nem se reconhece.
Pessoas. Crianças, homens, mulheres e idosos, tristes. Comumente designadas pela expressão “Coitado, não teve sorte nenhuma” ou “É uma tristeza de Vida”. É duro caminhar por vários invernos que duram anos e às vezes todo o tempo de uma Vida. Mas, não tem de ser assim.
Não é Sorte. Tem muito a ver com as ferramentas que nos são dadas e como as utilizamos. Fomos dotados, todos, de ferramentas maravilhosas: A criatividade, a inteligência, a memória, os sentidos, os sentimentos, as emoções e a nossa bússola – o Coração. Então, à partida não nascemos todos sobredotados? Temos de saber reconhecer, agradecer e, por a uso todas essas ferramentas com que viemos. E aí não há sorte a jogo. Há saber trabalhar com os nossos dons. Que felizmente variam de pessoa para pessoa e isso, é maravilhoso! Todos juntos, fazemos uma tapeçaria maravilhosa em que ínfimas e numerosas peças resultam numa obra de arte maravilhosa chamada Humanidade.
E não, não está “perdida” como apregoam os “velhos e velhas do Restelo”. Todos os dias nascem crianças com novas ferramentas e morrem pessoas que ao terem concretizado os seus sonhos deixam obras maravilhosas ao Mundo.
Comece por si. Reflita sobre quem é, o que deseja concretizar e o que tem feito para atingir esse sonho. Se perceber que ainda não conseguiu, continue a lutar. Se já percebeu que nunca poderá concretizar, Aceite. Outros sonhos virão. Novos desafios e cenários. Agradeça. É muito Abençoado. Todos viemos para triunfar, sermos felizes e deixar este Mundo um pouco melhor do que aquilo que, nos começaram a apregoar desde cedo. Levante o tapete, não esconda, procure ajuda. Ouça SEMPRE a sua Bússola… foi colocada no seu peito para nunca se perder.

(Artigo publicado na edição impressa de novembro de 2020)

Categorias: Opinião

Deixe o seu comentário