Partidos ouvidos sexta-feira e sábado pelo Representante da República

FOTO DR

O representante da República para a Região Autónoma dos Açores, Pedro Catarino, vai ouvir os partidos que elegeram deputados à Assembleia Legislativa da Região na sexta-feira e no sábado, foi anunciado em comunicado.

“Tendo sido hoje publicados no Diário da República os resultados das eleições, o representante da República procederá à audição dos partidos políticos com representação parlamentar tendo em vista a indigitação do futuro presidente do Governo Regional dos Açores”, adiantou, em comunicado de imprensa, o gabinete de Pedro Catarino.

O primeiro partido a ser recebido pelo representante da República no Solar da Madre de Deus, em Angra do Heroísmo, será o PAN, às 10:00 (hora local, 11:00 em Lisboa) de sexta-feira, seguindo-se o Iniciativa Liberal, às 11:00, e o PPM, às 12:00.

Ainda na sexta-feira serão recebidos os representantes do BE, às 14:30, do Chega, às 15:30, e do CDS-PP, às 16:30.

No sábado, Pedro Catarino ouvirá os dirigentes dos dois partidos mais votados, o PSD, às 10:00, e o PS, às 17:00.

O representante da República saudou ainda os eleitores açorianos pela forma como decorreram as eleições no dia 25 de outubro.

“Realizadas as eleições para a Assembleia Legislativa, órgão primordial da estrutura política da Região Autónoma dos Açores, o representante da República saúda o povo açoriano pela forma ordeira e serena como decorreu a campanha e o ato eleitoral e felicita os partidos pelos resultados obtidos e pela sua participação cívica na vida política da região”, lê-se no comunicado divulgado hoje.

De acordo com os dados oficiais, publicados hoje em Diário da República, o PS obteve 40.703 votos (correspondentes a 40,65% e a 25 mandatos no parlamento regional, perdendo a maioria absoluta), o PSD 35.094 (35,05%, 21 mandatos) e o CDS-PP 5.739, ou seja, 5,73% e três mandatos (o partido integrou ainda uma coligação com o PPM no Corvo que conseguiu eleger um deputado monárquico).

O Chega foi a quarta força mais votada, com 5.262 votos (5,26%, dois mandatos), seguindo-se o BE, com 3.962 (3,96%, dois mandatos), o PPM, com 2.415 (2,41%, um mandato, a que se soma o deputado eleito em coligação com o CDS-PP), a Iniciativa Liberal, com 2.012 (2,01%, um mandato), e o PAN, com 2.005 (2%, um mandato).

Já sem conseguir mandatos para a assembleia legislativa, a coligação PCP-PEV (CDU) obteve 1.741 votos (1,74% dos votos validamente expressos), o Aliança 422 (0,42%), o Livre 362 (0,36%), o MPT 157 (0,16%) e o PCTP/MRPP 144 (0,14%).

A coligação PPM/CDS-PP conseguiu no Corvo 115 votos (0,11% do total de votos validamente expressos).

Com estes resultados, o PS perdeu a maioria absoluta que detinha há 20 anos na região e esta semana o PSD, o CDS e o PPM anunciaram uma “proposta de governação profundamente autonómica”, um “governo dos Açores para os Açores” e com “total respeito e compreensão pela pluralidade representativa do povo”.

Decorrem ainda negociações entre os partidos de direita para garantir o apoio parlamentar a esta coligação.

A lei indica que o representante da República no arquipélago nomeará o novo presidente do Governo Regional “ouvidos os partidos políticos” representados no novo parlamento açoriano.

Lusa/DL

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário