Pedradas no charco… não chegam ao céu

Clife Botelho
Diretor Geral
Narrativa Frequente

O Diário da Lagoa (DL) é dos leitores que o leem e seguem e é de uma empresa privada, a Narrativa Frequente (NF), com capital próprio e independente. Apesar desta informação existir preto, no branco, em sede de conservatória, desde dezembro de 2019, parece que não tem sido suficiente para esclarecer alguma opinião pública.

A empresa decidiu investir neste projeto porque avaliou a oportunidade de diversificar a sua área de negócio. Aliado a isto, há a vontade de contribuir para o esclarecimento da comunidade pois acreditamos que todos têm o direito a uma informação credível, independente e séria. 

A NF é também uma empresa de comunicação e, em defesa do bom nome do jornal e dos seus colaboradores, toma por isso posição ao constatar que circula na opinião pública e em especial nas redes sociais – com motivos intencionalmente dolosos – que o DL pertence a uma instituição pública tentando desta forma associá-lo, e aos seus colaboradores, a interesses, cores partidárias e ideologias conforme a conveniência de quem aponta o dedo.

Já o tinha afirmado no passado mas volto a fazê-lo: são várias as empresas e instituições a utilizar os seus espaços publicitários no jornal – como acontece na imprensa em todo o mundo. Como qualquer outra empresa, temos como parceiros e clientes, instituições e empresas tanto privadas como públicas. Quem desconhece que a receita gerada por um jornal – neste caso o DL – provém da diversidade publicitária, deve folhear um exemplar da edição em papel ou em formato digital. A edição digital está inclusivamente inserida numa plataforma que inclui publicidade de âmbito nacional. 

A todos aqueles que apoiam o jornal, o nosso obrigado por valorizarem o mérito e o trabalho. Deste lado encontrarão empenho e firmeza, sempre.

Qualquer ataque a um jornal ou jornalista fere a liberdade de imprensa, um bem inalienável que todos, sem exceção, temos a obrigação de proteger. Não se combate a mensagem, atacando os mensageiros.

Não agradamos a gregos e a troianos, é certo, mas repudiamos a difamação, de qualquer género. Nenhuma tentativa frustrada de atingir o nosso bom nome irá derrubar este projeto, iniciado no passado por alguém que acreditou nele desde o primeiro momento.

Continuaremos o nosso caminho com o mesmo empenho, a mesma persistência e a qualidade que faz com que centenas de leitores, todos os meses, perguntem pelo jornal e vão ao encontro dele, logo nos primeiros dias de cada mês – para além das milhares de visualizações que somamos no nosso site diariamente. É isto que nos move e é nos nossos leitores que reside o nosso compromisso: dar-lhes a informação a que têm direito para poderem decidir e pensar sobre o que os rodeia.

Quando atiramos uma pedra a um charco ela provoca ondas sucessivas, agitando as águas. No final, o charco engole a pedra e as ondas cessam. Pedradas no charco não chegam ao céu. 

 

Categorias: Opinião

Deixe o seu comentário