Presidente do Governo dos Açores apela para cumprimento de regras na passagem do ano

FOTO JEDGARDO VIEIRA

O presidente do Governo dos Açores apelou esta terça-feira, 29 de dezembro, à população para o cumprimento das regras sanitárias para conter a covid-19 na noite da passagem do ano, destacando o “percurso positivo” da região no combate à pandemia.

“Quero em nome pessoal, em nome do Governo, renovar o apelo a cada pessoa, a cada família, para que cumpram as orientações de etiqueta relativamente ao cuidado de contágio da covid-19, para que possam cumprir as regras definidas”, declarou José Manuel Bolieiro.

O líder do executivo açoriano falava hoje em Ponta Delgada, na sede de presidência do executivo, após uma audiência com a delegação regional da Associação Nacional de Freguesias.

Bolieiro reconheceu que as medidas impostas para a noite de 31 de dezembro “limitam o convívio”, mas realçou que a saúde é o “mais importante”.

“A saúde pública, a saúde de cada um é mais importante do que tudo o resto e nós estamos a fazer um percurso positivo relativamente ao contágio, relativamente às cadeias de transmissão e estamos com uma luz ao fundo do túnel e uma expectativa com a vacinação”, assinalou.

O presidente do governo açoriano afirmou que o executivo realizou um “esforço” para criar “regras bem definidas” para a passagem do ano e que, por isso, não serão promovidas alterações na “véspera” quanto às regras em vigor.

“Não sou tentado a mudar de véspera regras nem para o facilitismo nem para a restrição, porque felizmente o quadro epidemiológico pode alterar-se, mas até ao momento está estável”, disse.

Na ocasião, Bolieiro também elegeu o “povo” como “personalidade do ano” de 2020, devido ao comportamento “com civismo” demonstrado durante a pandemia.

Ao contrário do que acontece no continente português, nos Açores não vai vigorar a obrigação de recolher obrigatório na noite da passagem do ano.

Em 23 de dezembro, o executivo regional determinou, no período entre as 00:00 do dia 24 de dezembro e as 23:59 do dia 07 de janeiro de 2021, o encerramento de todos os estabelecimentos de bebidas e similares, com espaços de dança, bem como, a partir das 22:00, o fecho dos bares e outros estabelecimentos de bebidas, com ou sem espetáculo e com ou sem serviço de esplanada.

Nesse mesmo dia, o governo açoriano anunciou a prorrogação da situação de calamidade pública nas ilhas de Santa Maria, São Miguel, Terceira, Pico e Faial, as que têm ligações aéreas com o exterior, bem como a prorrogação da declaração da situação de contingência nas ilhas Graciosa, São Jorge, Flores e Corvo.

A calamidade é o mais alto de três níveis de intervenção previstos na Lei de Bases da Proteção Civil, acima da contingência e do alerta

Lusa/DL

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário