Qual a importância da educação?

Manuel Rodrigues
Professor

Desvendando as vossas respostas, concordamos que, muito mais do que uma solução para conseguir bons empregos, a conquista do conhecimento é fundamental para o desenvolvimento do ser humano. A importância da educação na vida de uma pessoa tem reflexo nos mais diferentes âmbitos: na sua capacidade de se relacionar, interpretar informações, lidar com suas próprias emoções, tomar decisões com senso crítico e, até mesmo, obter satisfação pessoal e profissional.

Uma sociedade que se preocupa com a Educação desenvolve o pensamento crítico, melhora as oportunidades de trabalho, promove o convívio entre os diversos grupos sociais que a compõem, fomenta a maturidade, cria laços saudáveis entre os cidadãos e garante o reconhecimento perante os outros povos.

A informação e o conhecimento que uma pessoa recebe ao longo da vida podem fazer a diferença e, dessa forma, mudar estatísticas e realidades. Antes mesmo de nascer, uma pessoa já pode ser impactada positivamente pela educação.

Uma boa educação em casa, na escola, no CATL e noutros espaços faz com que a criança se torne um jovem com senso crítico, que sabe quais são os seus direitos e deveres e que tem mais competência para lidar com as mais diversas situações que podem apresentar-se ao longo da sua vida.

Esta pandemia trouxe à discussão um problema que até hoje era pouco falado, mas que está no centro de uma discussão importante sobre a escola e a Educação. Até que ponto os pais estão realmente preocupados com a aprendizagem dos seus filhos? Transferem para a escola toda a responsabilidade? Querem apenas que eles tenham uma atividade que os tire de casa? Para muitos pais, a escola será apenas um depósito de crianças?

Somos todos convidados a dar respostas e a fazer escolhas. Afinal a vida é feita de escolhas. Essa parece uma frase feita, mas não podia ser mais verdadeira. A nossa vida reflete o resultado de uma sequência de escolhas que fazemos ao longo da nossa existência. Algumas dessas escolhas são mais conscientes, planeadas, outras são feitas meio ao acaso ou até são fruto de uma indecisão ou falta de ação. Cada um terá de assumir que Educação deseja para os seus filhos e que parte da responsabilidade lhe compete. Somos todos convidados a compreender que os nossos filhos serão, em grande medida, o resultado das nossas escolhas, para além de um conjunto de fatores que pouco dominamos.

Artigo de opinião publicado na edição impressa de junho de 2022

Categorias: Opinião

Deixe o seu comentário