Rabo de Peixe e Ponta Garça com cordão sanitário

© SARA SOUSA OLIVEIRA / DL

O presidente do Governo dos Açores, José Manuel Bolieiro, anunciou esta quarta-feira, 13 de janeiro, a implementação de dois cordões sanitários em São Miguel, na vila de Rabo de Peixe e na freguesia de Ponta Garça, na tentativa de conter a pandemia da covid-19.

Os cordões nas freguesias de Rabo de Peixe (concelho da Ribeira Grande) e Ponta Garça (concelho de Vila Franca do Campo) entrarão em vigor às 00h00 de sexta-feira, 15 de janeiro, e durarão pelo menos até às 23h59 do dia 22 de janeiro, anunciou José Manuel Bolieiro, em conferência de imprensa em Ponta Delgada.

Dentro dos cordões sanitários ficam proibidas as deslocações por via terrestre ou marítima, a circulação de pessoas e permanência na via pública, exceto nas deslocações consideradas necessárias e urgentes conforme o previsto nas medidas já está em vigor para situações de alto risco.

Determina-se o encerramento de todos os estabelecimentos de ensino localizados na vila de Rabo Peixe, bem como na freguesia de Ponta Garça e o encerramento de todos os estabelecimentos de restauração, bebidas e similares e cafés, exceto para o serviço de entregas ao domicilio. 

Deverá ser efetuado o cancelamento de todos os eventos de natureza cultural ou de convívio social alargado.

Com a entrada em vigor do novo decreto regulamentar no que diz respeito a toda a ilha de São Miguel, fica proibida a circulação na via pública a partir das oito horas da noite até às cinco da manhã nos dias de semana, mantendo-se a partir das 15h00 nos fins de semana.

Toda a atividade comercial deverá encerrar às 20h00 durante a semana e às 15h00 ao fim de semana, com exceção das farmácias, clínicas e consultórios, bombas de combustível, estabelecimentos situados no interior de aeroportos, após o controle de segurança dos mesmos.

Os ginásios e piscinas cobertas também encerram, ficando proibidas as práticas desportivas nestes espaços.

É decretado o encerramento de casinos, estabelecimentos de jogos, fortunas e azar.

Estas medidas são adicionadas ao decreto já em vigor para situações de alto risco como é o caso de São Miguel.

Dirigindo-se aos açorianos, José Manuel Bolieiro lembrou a “responsabilidade de todos” nesta fase e pediu um comportamento individual “cumpridor” das regras impostas, até porque estas “são obrigações” e, quem não as cumprir, pode incorrer num crime de desobediência.

Os Açores têm atualmente 879 casos ativos de covid-19, sendo 839 em São Miguel, 33 na Terceira, dois no Faial e cinco nas Flores.

Foram detetados até hoje na região 2.845 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença covid-19, verificando-se 23 óbitos e 1.846 recuperações.

Lusa / DL

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário