Representante diz que seria “intromissão inaceitável” revelar textos dos partidos

FOTO DR

O representante da República para os Açores disse esta terça-feira, 10 de novembro, que seria uma “intromissão inaceitável” ser o próprio a divulgar os textos que os partidos que se juntaram para formar o próximo governo da região lhe levaram.

De todo o modo, lê-se numa nota enviada à imprensa pelo gabinete de Pedro Catarino, o representante da República diz não ter “qualquer objeção” à divulgação pública dos textos, embora partindo sempre dos partidos.

“Não cabe seguramente ao representante da República substituir-se a esses partidos na decisão sobre se, quando ou como os devem levar [os textos] ao conhecimento dos açorianos. Tal constituiria, aliás, um condicionamento da estratégia política dos partidos em causa e uma intromissão inaceitável na luta partidária regional”, considera Pedro Catarino.

O representante divulgou uma missiva enviada esta manhã ao coordenador do Bloco de Esquerda na região, António Lima, que havia escrito a Pedro Catarino considerando “insustentável” que a solução política encontrada para o executivo regional estivesse “alicerçada em acordos políticos de caráter secreto”.

Pedro Catarino reitera ainda que os textos que recebeu “têm a duração da legislatura” e “compreendem todos os pontos essenciais para a manutenção da estabilidade governativa” nos Açores.

Lusa/DL

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário