São Miguel e Terceira com transmissão comunitária

FOTO DR

O coordenador de saúde pública nos Açores declarou hoje, 1 de dezembro, que nas ilhas de São Miguel e Terceira há “claramente” transmissão comunitária do vírus que provoca a covid-19.

“Claramente em São Miguel e na Terceira há transmissão comunitária”, declarou à agência Lusa Gustavo Tato Borges, que iniciou funções na semana passada como responsável da nova equipa de combate à pandemia no arquipélago.

Os Açores tiveram na maior parte dos casos transmissões secundárias do novo coronavírus, “normalmente com ligação fora do arquipélago”, mas o momento atual, em São Miguel e na Terceira, é mais “complexo”, afirmou.

“O que começámos a descobrir foi pessoas que deram positivo e não têm ninguém à volta que justifique o caso. Transmissão comunitária significa percebermos que aparecem casos positivos que não têm ligação a casos e cadeias conhecidas”, precisou Gustavo Tato Borges.

O novo coordenador de saúde pública nos Açores disse hoje que Rabo de Peixe é a única freguesia da região onde os casos de covid-19 “continuam a aumentar de forma continuada” e propôs testar todos os habitantes da vila.

O objetivo da testagem das mais de oito mil pessoas é, declarou à agência Lusa Gustavo Tato Borges, “criar um tampão na transmissão da doença” na freguesia da ilha de São Miguel, pertencente ao concelho da Ribeira Grande.

“Rabo de Peixe neste momento é a única freguesia cujos casos continuam a aumentar de forma continuada”, acrescentou o responsável, que iniciou funções na semana passada na região no combate à pandemia.

Reconhecendo que a população de Rabo de Peixe “tem as suas próprias características”, Tato Borges diz que o objetivo da testagem “não é apontar o dedo a ninguém, mas sim proteger a comunidade”.

O responsável acrescentou ter proposto uma cerca sanitária à vila e adiantou que a estrutura de testagem deverá incluir dois postos de colheitas e incorporar testes rápidos de resultado conhecido em 15 minutos.

O delegado de saúde, o presidente da câmara da Ribeira Grande e o presidente da junta de Rabo de Peixe são também importantes no processo para “sensibilizar as pessoas” neste “trabalho de cidadania”, acrescentou.

Por freguesias, em São Miguel, a vila de Rabo de Peixe é a que regista mais casos (61).

Lusa/DL

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário