Triagem de Manchester reforça equidade e segurança na saúde

Para a Secretária Regional da Saúde a implementação do sistema da Triagem de Manchester na rede de Unidades Básicas de Urgência vai permitir “cuidados cada vez mais equitativos e seguros” nos Açores.

Teresa Machado Luciano falava na cerimónia de assinatura de protocolos entre as Unidades de Saúde de Ilha de Santa Maria, São Miguel, Graciosa, São Jorge, Pico, Faial e Flores e o Grupo Português de Triagem.

Na sua intervenção, salientou que esta metodologia, cuja implementação deverá estar concluída até ao final do ano, vai dar “um contributo significativo aos enfermeiros responsáveis pela triagem, sustentando as suas decisões e garantindo que os doentes são observados de acordo com a sua necessidade clínica”.

O sistema, que já está implementado nos três hospitais dos Açores, na Unidade Básica de Urgência da Terceira e no Centro de Saúde do Nordeste – Unidade de Saúde da Ilha de São Miguel, garante, no contexto de um primeiro atendimento pelo enfermeiro, a avaliação do risco clínico.

A Triagem de Manchester, sistema criado há 22 anos, tem como objetivo definir níveis de prioridade e identificar critérios de gravidade de uma forma objetiva e sistematizada, indicando a prioridade clínica com que o utente deve ser atendido e o tempo alvo recomendado até à primeira observação médica.

Este sistema assenta em mais de 50 fluxogramas baseados em queixas de apresentação e em cinco prioridades, que vão de ‘Não urgente, cor azul – 1.º atendimento médico até 240 minutos’ até ‘Emergente, cor vermelha – atendimento imediato’.

Tem inerente um processo de auditoria interna e externa que confirma, periodicamente, se os requisitos, atividades e resultados referentes ao sistema estão a ser cumpridos.

DL/Gacs

Categorias: Saúde

Deixe o seu comentário